Escolhendo o seu horário para exercitar-se

24 10 2011

Muitas vezes a primeira dificuldade para iniciar um programa de exercícios é estabelecer um horário regular para fazê-lo. O trabalho, a família, eventos sociais e outras obrigações podem dificultar ainda mais esta escolha. Algumas pessoas têm mais tempo e energia na parte da manhã, outras preferem o  período da tarde.

A boa notícia é que não importa que hora do dia você se exercita. o mais importante é escolher um tempo você possa exercitar-se tranquilamente, até que o exercício se torne um hábito.

Se você acorda com as galinhas

  • Algumas pessoas gostam de exercitar-se pela manhã porque estão com a cabeça fria e sem preocupações
  • Se for a sua preferência faça isso antes de ir para o trabalho ou antes de deixar os filhos na escola.
  • Se esta for a sua escolha, faça um aquecimento um pouco mais longo.

Se você se sente com mais energia mais tarde

  • Muitas pessoas gostam de se exercitar durante a sua hora do almoço. Seus colegas de trabalho ou amigos acompanhá-lo, eles pode ajudá-lo manter-se motivado.
  • A maioria das pessoas preferem exercitar-se e antes do almoço. Comer após o exercício pode inibir seu apetite.
  • Espere pelo menos 3-4 horas após uma refeição pesada ou 2-3 horas após uma refeição leve. Algumas pessoas fazem um pequeno lanche antes do exercício.
  • Exercitar-se antes de dormir pode prejudicar o sono de algumas pessoas.

Qual o melhor momento para mim?

Faça algumas experiências e veja que horário você se sente mais disposto.

  • Exercite-se na parte da manhã por uma semana ou duas. Em seguida, experimente na hora do almoço, e depois no início da noite.
  • Qual você mais gosta?
  • Que horário faz você se sentir melhor depois da atividade?
  • Qual o momento com a maior probabilidade de você ter sempre disponível?

Tenha este tempo como um compromisso com você mesmo

Depois de encontrar o tempo que funciona melhor para você, marque em sua agenda para os próximos meses, e acompanhar o quanto você se mantem no seu compromisso.
Se você achar que você tem muitos conflitos com o seu tempo de treino, você pode ajustar a sua programação.

Importante : Converse com seu médico e busque orientações de um educador físico antes de iniciar um programa de exercícios.

Marlus M. Marconcin – Coach de Saúde
All rights reserved ©





A Dieta da Moda – Será que ela é segura?

16 05 2011

Já escrevemos anteriormente a respeito das “dietas milagrosas” e por que elas não funcionam. Pode ter ficado alguma dúvida e você pode estar se perguntando: “Será que todas as dietas são ineficientes? Que mau fará se eu experimentar?” Podemos até admitir que alguma dieta pode ser eficiente em alguns casos. A dúvida que fica é como saber se é seguro experimentar a dieta da moda?

Ao se deparar com uma nova dieta, que parece promissora, faça a si mesmo as seguintes perguntas para te  dar algum respaldo e segurança:

1. A proposta da dieta é uma forma realista de alguém se alimentar diariamente?

Alguma vez você teve algum receio para começar uma dieta? Esse pode ser o primeiro sinal de que esta provavelmente não é a dieta para você. A mudanças nos hábitos alimentares devem realinhar ou reorientar os seus hábitos alimentares. Você provavelmente estará mais propensos a manter uma dieta que você goste, mas que ainda consiga efetivamente (e gradualmente) reestruturar seus hábitos alimentares. Pergunte a si mesmo “o que posso fazer hoje para me alimentar de forma um pouco mais saudável?” Dê pequenos passos para que mudanças reais aconteçam a longo prazo.

2. Esta dieta elimina algum dos principais grupos de alimentos?

Independentemente do seu peso, seu corpo ainda precisa dos mesmos nutrientes para executar funções diárias e manter as suas funções sem problemas. Cada dia, você precisa de uma variedade de alimentos em numa dieta bem equilibrada para obter as vitaminas e os minerais que mantêm o corpo saudável. Se uma dieta elimina alimentos saudáveis ​​- como grãos integrais, frutas, legumes, proteínas magras, ou a gordura dos produtos lácteos de baixo – provavelmente não será benefica a longo prazo para o seu corpo.

  • 3. Você pode manter esta dieta a longo prazo?


Suas motivações para emagrecer pode ser de curto prazo, mas as motivações positivas e eficazes são de longo prazo. Uma alimentação que promove o emagrecimento também é capaz de manter o peso ideal. As dietas que prometem emagrecimento rápido não são convenientes para a manutenção do peso alvo, as pessoas voltam aos seus antigos hábitos e observa-se o efeito yo-yo . As flutuações de peso dramática são prejudiciais para o seu metabolismo e para a sua saúde em geral.

Se as respostas que te vieram à mente não foram satisfatórias, espere mais um pouco e pesquise um pouco mais a respeito. Se ainda ficar alguma dúvida, não hesite em procurar o conselho de seu médico, nutricionista ou um coach de saúde.

Marlus M. Marconcin – Coach de Saúde
All rights reserved ©





Programas de Prevenção em Saúde – Erros comuns

27 04 2011

É um consenso geral que uma empresa que possui um Programa de Prevenção em Saúde tomou uma boa decisão de negócios. Este programa, não só pode ajudar seus funcionários a conquistarem uma vida saudável, como também ele pode economizar verdadeiras fortunas. Acontece que muitas empresas estão encontrando dificuldades para ter um programa interno de prevenção bem sucedido. Aqui estão algumas razões que os Programas de Prevenção em Saúde estão aquém das expectativas:

1. Falta de recursos. Financiamento adequado, o acesso aos recursos internos e de pessoal são importantíssimos para ajudar ao programa ter sucesso.

  • Financiamento – Os programas de prevenção de sucesso requerem um investimento em tempo, dinheiro, bem como dos recursos internos da empresa. Empresas acreditam neste investimento tem um retorno excepcional, após apenas dois a quatro anos. Estatísticas afirmam que há um ganho de 100 dólares para cada Dolar investido em prevenção.
  • Suporte  – Os funcionários precisam de orientação para compreender às exigências e o conteúdo do programa preventivo. Os funcionários podem não ter as habilidades e conhecimentos necessários para implementar, comunicar e gerenciar o programa no seu dia-a-dia. Uma estratégia de suporte de informações realizado por um especialista em prevenção, seja ele um diretor, gerente, médico do trabalho, psicólogo ou um coach de saúde pode implementar e administrar o programa – é um item valioso e irá assegurar que todos os aspectos do programa serão geridos de forma eficaz.

2. Falta de interesse. Para que qualquer programa para ter um impacto duradouro, é importante que os funcionários estejam motivados na melhoria da sua saúde. A participação dos trabalhadores pode ser realizada através da comunicação e educação. Quando as pessoas compreendem como o programa pode beneficiá-los, e envolvê-los , como parte do programa, então eles terão maior interesse em participar. É particularmente importante para identificar e engajar os funcionários de alto risco – aqueles que fumam, os obesos ou têm outros fatores de risco identificáveis. Os funcionários de alto risco irão custar a sua empresa 3-5 vezes mais do que a média dos trabalhadores, por isso é benéfico engajá-los num estilo de vida saudável.

3. Falta de um Envolvimento Global. Os funcionários serão muito mais propensos a participar do programa de prevenção se vêem o alto escalão participando ativamente dos mesmos programas e desafios saudáveis. Isso pode ser feito por conseguir o apoio de sua equipe de alta gerência, desde o início, identificando claramente o seu papel na promoção do programa.

4. A Falta de Planejamento. Talvez a sua empresa começou o programa de uma maneira estrondosa, mas com o passar do tempo o “barulho” foi diminuindo rapidamente e os funcionários deixaram de participar. Mudar comportamentos não acontece de um dia para o outro, o reforço dos conceitos e ações, a motivação permanente é necessária, isso inclui eventos de lazer, variar metodogias e dinâmicas de trabalhos, etc… Um plano de incentivo pode desempenhar um papel significativo no  nível de participação e de sucesso que você irá conseguir.

5. Informações em Excesso. A maioria das pessoas já ouviram o suficiente que fumar é prejudicial, os vegetais são bons, e que eles devem fazer mais exercício. Ter um site ou link de newsletter com essa informação pode ser útil, mas a realidade é que muitas pessoas não vão ter tempo para ler. É importante ter opções para as pessoas falarem com especialista sobre a implementação de mudanças em suas próprias vidas. O Coaching de Saúde dará condições às pessoas de exporem seus problemas de maneira individual e personalizada à sua situação específica.

Um programa de prevenção bem-sucedido exige um financiamento adequado e de recursos, de pessoal para ajudar a planejar e gerencia-lo, o apoio de lideranças empresariais e especialistas em medicina do trabalho, bem como a avaliação periódica para ter certeza que é continuar a atender seus objetivos específicos. Essas dicas são eficazes para as empresas, considerando bem-estar corporativo .

Marlus M. Marconcin – Coach de Saúde
All rights reserved ©





Planos de Saúde – o que fazer antes de contratar um

18 04 2011

Existem uma série de detalhes a serem considerados quando está se escolhendo um plano ou seguro de saúde, quer seja um oferecido pelo seu empregador ou se você está comprando individualmente.

A seguir daremos algumas dicas importantes a serem observadas. Defina as suas necessidades: O que você quer de um plano de saúde? Que tipo de atendimento você necessita? Qual a cobertura? Procure a companhia de Seguro ou empresa de plano de saúde somente após você definir o que você quer. Os discursos de venda são tentadores e muitas vezes enganosos. O vendedor sempre vai te oferecer o melhor, não importa se é verdade ou não.

Considere o seguinte:

  1. O seu médico de confiança é credenciado? Alguns planos de saúde oferecem o atendimento de médicos somente de sua rede própria, outros planos são mais flexíveis. Se você já tem um médico, e está comprando o seu próprio seguro, verifique se o seu médico de confiança é credenciado. Se você tiver de escolher um novo médico, verifique as credenciais dos médicos do novo plano de saúde, entre em contato com a Associação Médica ou o Conselho Regional de Medicina.
  2. Quanto o médico que vai lhe atender receberá pela consulta? Verifique e faça os calculos se esse valor o profissional terá condições de manter seu consultório, manter sua atualização profissional, é um valor que ele poderá atendê-lo num tempo suficiente para pagar os custos do atendimento? Esse quesito é muito importante, a grande maioria dos planos de saúde que tem um valor baixo para o usuários pagam mau e com atraso seus médicos credenciados. Lembre-se que o médico também é cliente do plano de saúde como você, quando o plano lesa o médico também está lesando você pois o valor que você paga mensalmente é para pagar aqueles que te atendem.
  3. Qual é a localização dos consultórios, hospitais, laboratórios e outros serviços? Estes são fatores importantíssimos  a se considerar. É de fácil acesso, tem estacionamento, quanto tempo você irá gastar para chegar até lá?
  4. Quais são as especialidades disponíveis? Todos os planos de saúde são obrigados a reembolsar o valor da consulta para todas as especialidades credenciadadas no Conselho Regional de Medicina. Verifique qual o valor reembolsável. Qual a disponibilidade de horário para o plano dos especialistas credenciados. Alguns planos exigem que você procure um médico generalista antes de encaminhar ao especialista, enquanto outros permitem que você faça consultas especializadas diretamente. O que é mais adequado para você?
  5. Lembre-se de verificar a legislação de “doenças pré-existentes” – Na hora da venda do plano a promessa é de cobertura total, estude o contrato e veja se está de acordo com a legislação. Faça uma pesquisa para ter certeza que você sabe o que seu seguro ou plano de saúde cobre.
  6. Quais são os exames disponíveis, o plano cobre exames regulares de rotina? Parece uma coisa óbvia, mas se você necessitar de um controle periódico de alguma patologia você deve se assegurar que este controle com todos os exames necessários para a sua segurança são cobertos. Alguns planos de saúde cobrem estes tipos de procedimentos, porém colocam um limite anual. Se você tem filhos, lembre-se de perguntar se existe programas de prevenção da saúde da criança, que exames especiais e vacinas são cobertas.
  7. Quais são os serviços adicionais? Verifique tudo, desde a cobertura de medicamentos e cuidados de saúde mental, isso é uma consideração importante. Considere quais serviços adicionais que você pode precisar e se são, na verdade, cobertos pelo planos que você está comprando. Outros exemplos desses serviços adicionais que podem ser importantes para você são de aconselhamento e tratamento de drogas e álcool, atendimento domiciliar, ou cuidados prolongados, nutrição, psicologia, hospitais psiquiátricos,  medicina complementar, quiropraxia e fisioterapia.
  8. Se você estiver viajando e necessitar de um atendimento, você terá direito a reembolso? É importante você saber mais sobre esta política de reembolso para os atendimentos “fora da rede” credenciada. Finalmente, há co-pagamento, montantes máximos e limites globais de cuidados que você precisa saber? Obtenha todos os dados.

São apenas alguns ítens que julgamos importantes. Existem outros que em outra ocasião podemos apresentar. O importante é você se colocar numa situação de escolha e não de “presa fácil” na mão de vendedores.

É uma coisa difícil olhar para a sua saúde de uma forma fria e calculista, mas é a realidade desta vida.

À medida que envelhecemos, utilizamos muito de nossa energia para pensar e planejar coisas a respeito de doença, morte e invalidez, mas ninguém precisa ser mórbido ou depressivo.

Faça o seu melhor para obter um plano de saúde que cubra as suas necessidades particulares, e lembre-se que você vale a pena. Aquela regra aurea vale, e muito, também para a saúde, “O barato sai caro”.

Marlus M. Marconcin – Coach de Saúde
All rights reserved ©





Porque consultar um Coach de Saúde?

2 12 2010

Uma vida sem objetivo, hábitos alimentares inadequados, desperdício de energia, de tempo e recursos, saúde com sérios problemas, instabilidade emocional. É assim que as pessoas constroem suas vidas; de maneira semelhante, nesse empirismo, os países cuidam da lavoura, da indústria e o próprio governo. Resultado, pessoas insatisfeitas com sua saúde e com sua vida. Vivem de forma limitada e desmotivada.

Como esta realidade pode ser transformada? Como suprir às necessidades das pessoas que sonham com a qualidade de vida?

Seria uma utopia imaginar um quadro assim? Pessoas felizes, realizadas, praticando esporte, tendo atividades de lazer com prazer, trabalhando com motivação. Isso tudo como resultado de adotar estratégias simples e acessíveis de hábitos saudáveis, orientado por um profissional comprometido e atento às necessidades individuais de cada um.

Planejamento, um item altamente valorizado em qualquer situação da vida. As pessoas comumente se importam pouco com o planejamento de suas vidas, principalmente quando se trata de saúde. Buscam informações em revistas populares, notícias na TV, artigos na Internet e, o que é mais comum, opinião de pessoas leigas totalmente despreparadas e desinformadas. A grande maioria busca uma informação profissional somente quando a “casa está caindo”. Tomam assim atitudes infundadas e muitas vezes arriscadas, sempre com a desculpa da “falta de recursos”. A verdade é que manter alguns hábitos saudáveis, ter uma alimentação adequada, balanceada e eficientemente nutritiva, juntamente com uma orientação profissional personalizada tem um custo, que varia conforme a pessoa, porém quando os cálculos são feitos este custo passa a ter outro nome, “Economia”. Questionando qualquer pessoa com alguma experiência de vida teremos uma resposta unânime: sempre acontece algo inesperado e imprevisto, quando se fala de saúde, cujo custo para o reparo pode ser alto, permanente e algumas vezes até irreversível.

O planejamento da saúde é possível. O Coach de Saúde é um profissional que, além da formação médica, garante um conhecimento profundo a atualizado sobre o assunto, é treinado e capacitado a perceber a situação de saúde do cliente de uma maneira abrangente e sistêmica. Ele observa o modo de vida dos clientes, suas aspirações, suas necessidades e por fim propõe uma solução que atenda as suas exigências.

Para desenvolvimento do planejamento da saúde não há regras, mas sim uma adequação das necessidades de cada pessoa considerando os aspectos contextuais da vida de cada um.

Então, quando é contabilizado o todo, a contratação de um coach de saúde minimiza os custos de uma maneira global, a curto e longo prazo e, o que é mais importante, proporcionar aos cliente a satisfação duradoura de viver em uma vida plena na “sua” medida.

Uma sociedade justa e equilibrada é construída e não um resultado do acaso ou da sorte de atitudes “empíricas”. Quando as pessoas conseguem conquistar uma vida com qualidade real, elas também despertam em si a importância do planejamento global de suas vidas profissionais, financeira, psicológica, social, familiar, etc. Em todos esses casos existem profissionais capacitados e capazes de dar orientações adequadas a cada caso. Algo pode ser feito para uma melhoria da qualidade de vida de nosso país e nosso planeta como um todo, por que não começar melhorando a qualidade de vida de cada indivíduo particularmente?

O que fazer? Consulte um coach de saúde.