Limpeza de Ano Novo

9 01 2012

Janeiro é um mês de “balanço geral”, rever os resultados do ano anterior, traçar novos rumos, rever conceitos, etc…

Uma coisa muito importante é “limpar a área” para deixar que as coisas aconteçam.

Neste mês vamos revisar alguns conceitos importantes que irão ajudar neste novo ano.

Gostaria que você desse uma olhada com atenção num post anterior de autoria de uma grande amiga, muito oportuno para essa época. “O Princípio do Vácuo”

Fica um pensamento que gosto muito:

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial. Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente.”— Carlos Drummond de Andrade

 

Marlus M. Marconcin – Coach de Saúde

All rights reserved ©

Anúncios




Atitude – Faça algo por você mesmo neste Ano Novo!

2 01 2012

“Quando você parar de perseguir as coisas erradas você dará chance

para que as coisas certas te alcancem.”

“Ano Novo, Vida Nova”. Muitos tem esta frase na ponta da língua neste período, poucos fazer disso uma realidade. Procuramos focar em grandes mudanças porém são coisas simples que fazem grandes transformações. O que cada um de nós pode fazer para mudar significativamente nossa vida?

Aqui estão algumas idéias para você começar:

  1. Gaste o seu tempo pessoas que te fazem bem. – A vida é muito curta para passar tempo com pessoas que sugam nossa felicidade. Quantas pessoas são realmente essenciais em sua vida, e na vida de quantos você é essencial? Faça uma lista e passe o seu tempo livre com elas.
  2. Encare de frente os seus problemas. –  Não, realmente não é fácil. Gosto deste pensamento “…ninguém vai bater tão duro como a vida. Mas não se trata de bater duro, se trata de quanto você agüenta apanhar e seguir em frente, o quanto você é capaz de agüentar e continuar tentando. É assim que se consegue vencer.” (Rocky Balboa) Recuar, nunca, só se for para pegar impulso.
  3. Seja verdadeiro para si mesmo. – Você pode mentir para qualquer outra pessoa no mundo, mas você não pode mentir para si mesmo.
  4. Ponha as suas próprias necessidades em primeiro plano. – A coisa mais dolorosa é abrir mão de coisas que são importante para nós e perceber que não valeu a pena. Podemos sim ajudar os outros, mas sem deixar de abrir mão de nossas prioridades.
  5. Seja você mesmo. – Um dos maiores desafios na vida é ser você mesmo em um mundo que força você a ser igual a todos. Sempre vai existir alguém mais bonito, alguém sempre vai existir alguém mais esperto, mais jovem. Não mude a sua maneira de ser somente para agradar os outros. Seja você mesmo e as pessoas certas vão gostar do verdadeiro você.
  6. Olhe para o futuro e pare de tentar se agarrar ao passado. – Você não pode iniciar o próximo capítulo da sua vida se você mantiver apegado a  seu passado.
  7. Confie no teu “taco” e pare de viver com medo errar. – Fazer alguma coisa errada é pelo menos dez vezes mais produtivo do que não fazer nada. Todo sucesso tem uma trilha de falhas por trás dele, e cada fracasso um caminho para o sucesso. Um dia você irá se lamentar das coisas que você não fez muito mais do que as coisas que você fez.
  8. Aprenda com os erros do passado – Podemos amar a pessoa errada e chorar sobre as coisas erradas, mas não importa como as coisas dão errado, uma coisa é certa, os erros nos ajudam a encontrar a pessoa e as coisas boas que foram feitas para nós. Todos nós cometemos erros, temos lutas, e até mesmo podemos nos arrepender de algumas coisas do nosso passado. Mas você não é seus erros, você não é suas lutas, e você está aqui agora com o poder para moldar o seu futuro. Cada coisa que já aconteceu em sua vida foi para prepará-lo para um momento que ainda está por vir.
  9. Seja proativo e pare de ser ocioso. – Avalie as situações e tome medidas decisivas. Você não pode mudar aquilo que você se recusa a enfrentar. Todo progresso envolve riscos. Ponto final!
  10. Agora é o “Seu” momento” – Pare de pensar que você não está pronto. – Ninguém se sente 100% pronto quando a oportunidade surge. Porque as grandes oportunidades da vida nos forçam a crescer além de nossas zonas de conforto, isso que significa que não vai se sentir totalmente confortável no início.
  11. Escolha seus relacionamentos com cuidado – É melhor estar sozinho do que estar em má companhia. Não há necessidade de pressa. Se algo é para ser, isso vai acontecer – no momento certo, com a pessoa certa. Apaixone-se quando estiver pronto, não quando você estiver sozinho.
  12. Perdoe. – Viva a vida sem ódio em seu coração. Você vai acabar prejudicando a si mesmo mais do que as pessoas que você odeia. O perdão não está dizendo: “Tudo bem com o que você fez para mim.” O perdão significa: “Eu não vou deixar o que você fez estragar a minha felicidade para sempre.” O perdão é a resposta … desapegar, deixar ir embora, encontrar a paz, libertar-se! E lembre sempre, o perdão não é só para outras pessoas, é para você também.
  13. Faça pausas no que você está fazendo. – Tome um tempo para respirar profundamente quando você não tem tempo para isso. Se você continuar fazendo o que você está fazendo, você vai continuar obtendo os mesmos resultados. Às vezes é importante distanciar-se para ver as coisas claramente.
  14. Assuma a responsabilidade por tudo o que acontece com você. – A sua capacidade de poder realizar seus sonhos depende da sua capacidade de a responsabilidade por sua vida. Quando você culpa os outros pelo que você está passando, você nega responsabilidade – você dá aos outros o poder de decisão em sua vida.
  15. Agradeça por tudo. – Não importa o que aconteça, acorde a cada dia grato por sua vida. Em vez de pensar sobre o que está faltando, tente pensar sobre o que você tem que todo mundo está em falta.

Marlus M. Marconcin – Coach de Saúde

All rights reserved ©





A Armadilha do “Apego”

27 07 2011

O que nos impede de crescer, de mudar, melhorar nossa vida, nossos relacionamentos?

O “apego” é uma das coisas mais danosas e prejudiciais ao nosso crescimento. Muitas vezes nos sentimos incapazes de transformar nossas vidas não porque não temos a capacidade da transformação mas pelo simples fato de ficamos literalmente presos a certas coisas e nos recusarmos a soltá-las.

Na região nordeste e norte do Brasil existe uma árvore que se chama Sapucaia. Ela produz um fruto em forma de cumbuca. Quando este amadurece e se abre do seu interior são liberadas pequenas castanhas. O macacos destas regiões são fascinados por castanhas.

O problema é que o orifício é grande o suficiente para que eles introduzam a mão aberta mas quando pegam a castanha e a mão se fecha ela fica presa. Eles só conseguem tirar a mão quando largam e abandonam o fruto. Alguns macacos chegam a ficar dias presos à cumbuca sem saber como se libertar. Com este comportamento eles se tornam presas fáceis para predadores e caçadores. Os macacos velhos e experientes, sabem onde põe a mão porque já passaram pela sofrida experiência. Daí o vem ditado: “Macaco velho não mete a mão em cumbuca”.

Nós apresentamos o mesmo comportamento com relação a muitas coisas em nossas vidas. Ficamos presos a “cumbucas” porque nos apegamos a coisas, a comportamentos, a crenças, etc. Quando a vida nos diz para soltarmos estas coisas para haver uma transformação, nós negamos e continuamos agarrados, não agimos e continuamos presos.

Não é uma questão de não podermos mudar, mas sim uma questão de resistirmos à mudança sem nos darmos conta disso. Algumas vezes estamos com a mão presa na cumbuca mas nem sabemos o que estamos segurando.

Quais são as mudanças e novas possibilidades que iriam surgir na sua vida se simplesmente você abrisse a mão e se desapegasse às coisas que te prendem à cumbuca que você está preso hoje?

Marlus M. Marconcin – Coach de Saúde
All rights reserved ©





Sucesso – Algo para se cultivar

22 06 2011

Há algumas semanas discutimos a respeito da definição de saúde. Constatamos uma realidade. A saúde é algo que todos querem porém poucos sabem definir o que é. E cada um tem a sua definição pessoal e varia conforme a pessoa, conforme a idade, etc.

Descobri que o sucesso sofre do mesmo problema. Por que poucos alcançam o sucesso? Talvez porque poucos pararam para pensar e definir o que é isso para sua vida e onde encontrá-lo.

As definições formais de sucesso são: “ter êxito em uma campanha”, “atingir o objetivo”, “obter um bom resultado”. O problema é que as pessoas alcançam os objetivos e não consideram que tenham obtido o sucesso, alcançam resultados surpreendentes em suas vidas e não se sentem satisfeitas e acham que fracassaram.

Então sucesso acaba sendo algo subjetivo, algumas vezes até imensurável.

Minha definição pessoal de sucesso é:

“Sucesso é como uma flor. É plantado com a semente de nossos sonhos, cultivado no solo de nossa identidade. Fortalecido com a “poda” do desapego e nutrido com nossas crenças e valores. É adubado com atitude positivas e objetivos claros. E finalmente é colhido na estação em que é possivel amar, amar o que se faz, amar as pessoas, amar a vida.”

Então o sucesso começa com um ingrediente básico. Um “Sonho”, uma visão de um desejo. É importante querer e vislumbrar os benefícios de algo para isso poder ser real um dia.

Após sonhar com algo avaliamos o que isso irá transformar, positivamente ou negativamente nossa vida, nossa identidade. Quem iremos nos transformar ao realizar este sonho?

Plantado este sonho, existem coisas em nossa vida que sugam nossa energia e nos impedem de crescer e realizar nossos sonhos. O desapego é a ferramenta que nos ajuda a aliviar a carga e sermos mais eficientes.

O sucesso para cada um acaba sendo também uma questão de “valores”, de interesse pessoal. Não existe somente sucesso, mas sim o “seu” sucesso, e isso não será necessariamente o sucesso de alguém. Os valores são a base e o alicerce de nossos sonhos. Existem pessoas diferentes, diferentes sonhos e formas diferentes de alcançar esses sonhos.

A atitude correta nos aproxima de nosso sonho e os objetivos constroem o caminho mais curto e acessível para o sucesso.

Então chegado lá não adianta nada a conquista se não tiver o ingrediente do “amor”. Amar o que você faz facilita a jornada, amar as pessoas cria vínculos de auxílio e apoio, amar alguém em especial possibilita usufruir da conquista, ter com quem comemorar e dividir os louros e finalmente muito importante o amor à vida nos proporciona um senso de missão, de propósito, de Vida Plena.

 

Cultive o seu sucesso, é fácil e está à sua disposição.

Marlus M. Marconcin – Coach de Saúde
All rights reserved ©





Saindo da Zona de Conforto

12 05 2011

Vida profissional e saúde. Existe uma ligação entre estes dois contextos na vida de qualquer pessoa? O que fazer para evitar que uma perspectiva profissional negativa prejudique nossa vida como um todo?

Quando eu comecei minha carreira, no  início da década de 90, a medicina ainda era uma profissão almejada e segura. Naquela época, um recém formado fazia plantões noturnos e encontrava um emprego público para manter um ganho basal inicial, o tempo restante investia em seu consultório particular, local onde poderia desenvolver sua especialidade com dignidade e com tranquilidade. Com o passar do tempo a defasagem no valor das consultas obrigaram aos médicos a aumentar sua carga horária em plantões, não para ser um suporte no crescimento de sua carreira, mas por questão de sobrevivência. Os consultórios particulares começaram a esvaziar, as pessoas passaram a buscar o médico como uma espécie de ‘bombeiro’ para apagar os incêndios na sua saúde, deixando as consultas preventivas num segundo ou até terceiro plano. Como pediatra e com uma formação que sempre salientou a prevenção e a promoção da saúde, não estava muito feliz naquele momento e o futuro parecia um pouco nebuloso. Outra razão de tal escuridão foi também que eu vi colegas ao meu redor, muitos com vários anos de experiência a mais que eu, com curriculuns impecáveis, alguns até com título de mestrado, se sujeitando a trabalhar em serviços sem condições dignas de trabalho, desvalorizados e mau remunerados. O desânimo e a falta de perspectiva no futuro me levaram a uma obesidade mórbida que resultou numa obstrução de coronária que quase me matou.

A partir de um momento conclui: ’’A medicina não será a mesma que antes, é importante eu mesmo fazer algo e parar de esperar soluções da classe, de entidades. Eu sou o regente da minha vida’’.

Quando tais coisas acontecem, é sempre uma oportunidade para analisar sua formação e compreender a forma como exerce a sua profissão.

Ao pensar sobre esta mudança particular no mundo do trabalho, conclui que, para que eu pudesse conquistar uma tranqüilidade profissional, seria importante tomar as rédeas de minha vida  e não deixar que outros definissem as condições de meu trabalho. O mais importante numa carreira é ter a certeza que você poderá evoluir, ter a certeza da possibilidade de expandir suas habilidades, conhecimentos e consequentemente remuneração.

O problema é que evolução significa sair da “Zona de Conforto”.

O conforto é algo agradável quando as coisas estão indo bem. Mas a questão é: quanto tempo vai ficar assim? Num mundo em rápida evolução a sensação de conforto pode ser um perigo. Habilidades, capacidades e experiência são a garantia de sucesso na busca de oportunidades de trabalho. Mas as habilidades e capacidades não são coisas estáticas, mas dinâmicas. Num mundo em rápida evolução, é saudável que suas habilidades e competências mudem e de evoluam.  A aquisição de novas competências e desenvolvimento de novos talentos é um bem e uma necessidade.

É importante verificar de tempos em tempos, tanto na sua vida profissional como pessoal, onde você está, onde você estava e onde você quer chegar. Quando você vê que as coisas não mudam muito e que você ainda está no mesmo lugar, na mesma função, com a mesma remuneração, não enxergando nenhuma evolução no seu trabalho, provavelmente é hora de considerar partir para outro desafio.

Não faça isso apenas em sua vida profissional, mas também na sua vida pessoal, tenha hobbies, estabeleça metas para eles e persevere, a fim de alcançar seu objetivo. Em outras palavras, saia da zona de conforto e se aventure na zona de desconforto.

É interessante que este movimento para a zona de desconforto seja um processo contínuo. No início da minha carreira, eu pensava numa carreira de pediatra indo de casa para o hospital, do hospital para o consultório. Uma vida com poucos desafios. A água do meu aquário começou a ficar estagnada e a falsa estabilidade quase me matou. Hoje, como Coach de Saúde, não consigo me imaginar nesta vida estática. Busco novos desafios em todas as áreas da vida.

A minha experiência me fez chegar a algumas conclusões. Em cada evento negativo, você sempre pode aprender algo e encontrar oportunidades. É uma característica de um espírito empreendedor, é importante que você seja o empresário de sua própria vida. Mover-se para a zona de desconforto lhe dará outra oportunidade, irá contribuir para o seu auto-desenvolvimento e fortalecer o sua auto-estima. Mover-se para a sua zona de desconforto é apenas uma questão de hábito. Algo que percebi também é que quando encontramos uma estratégia eficiente num contexto de vida esta estratégia se distribui para os outros contextos incorporando em nós como um “modus operandi” generalizado.

Com isso, você vai sentir que a zona de desconforto não é tão desconfortável, muito pelo contrário é maravilhosa e nela encontramos as ferramentas que podem salvar a sua carreira e a sua vida, como salvou a minha.

Marlus M. Marconcin – Coach de Saúde
All rights reserved ©





A Lei Pareto e a sua Saúde

16 02 2011

80/20

“Menos é mais” – uma frase muito difundida e discutida no meio profissional. Ela se baseia na Lei de Pareto – ou princípio 80/20. Mas afinal, o que significa isso e como se relaciona com a saúde?

Esse princípio foi criado pelo economista Vilfredo Pareto no séc. XIX. Ele observou que 80% das consequências vem de 20% das causas. Por exemplo 80% da riqueza do mundo está na mão de 20% das pessoas, 80% das pessoas vivem em 20% das cidades do mundo, 80% da poluição é causada por 20% dos países, 80% da receita de uma empresa vem de 20% dos clientes e assim por diante.

É uma conta surpreendente que chega a ser considerado uma Lei, como a lei da gravidade. Ninguém ainda explicou o porquê a gravidade se comporta de acordo com sua lei, mas é uma constante tão certa que muitos cálculos para que aviões voem em segurança são feitos a partir da lei da gravidade. Não se sabe o porquê deste número 80/20, agora, o fato é que quem atenta para esta Lei consegue resultados surpreendentes.

AS empresas que calculam o número de clientes que garantem os 80% de lucro chegam ao número de 20% dos mesmos, podem priorizar ações para estes 20%, tratam com uma atenção especial e conseguir até triplicar seu faturamento com um esforço muito pequeno.

Na administração do tempo o calculo é semelhante. Perceba quais são os 20% de atividades que consomem 80% do seu tempo. Priorizando ações nesses 20% de atividades podemos ter um ganho muito significativo de tempo para viver a vida com prazer.

Vamos então trazer o Pareto para o cuidado da saúde. Procure identificar os 20% dos alimentos que você come durante o dia que contém 80% dos nutrientes necessários para viver. Consuma mais esses 20% elimine os 80% que você terá um ganho de saúde física e financeira pois o gasto será muito menos.

Identifique também os 20% de alimentos que você consome e que podem trazer os 80% de calorias a mais que fazem você ganhar peso. Elimine estes 20% que o seu controle de peso ficará bem mais fácil.

Quais são os 20% de hábitos que trazem 80% de prejuízo para sua saúde? Elimine este 20% que você terá um ganho fabuloso em disposição e energia.

Parece simples e infantil porém os resultados são fantásticos. Acredite, experimente…

Dica de Livros:

  • O Princípio 80/20, Richard Koch, Editora Rocco.
  • O Estilo 80/20, Richard Koch, Editora Sextante.
  • A Arte de Viver, Epicteto, Editora Sextante.
  • Os Donos do Futuro, Roberto Shinyashiki, Editora Gente.
  • Trabalhe 4 horas por semana, Tim Ferris, Editora Planeta.
  • Sem Medo de Vencer, Roberto Shinyashiki, Editora Gente.





Princípio do Vácuo

9 02 2011

Gostaria de compartilhar este texto de uma grande amiga e minha Coach pessoal Cristina Bresser.

Princípio do Vácuo – O Princípio do Life Coaching

Você tem o hábito de juntar objetos inúteis, acreditando que um dia (não sabe quando), poderá precisar deles?  Você tem o hábito de guardar roupas, sapatos, móveis, utensílios domésticos e outros tipos de equipamentos que já não usa há um bom tempo?

E dentro de você?

Você tem o hábito de guardar mágoas, rancores, ressentimentos, raivas e medos? Não faça isso. É anti-prosperidade.

É preciso criar um espaço, um vazio, para que as coisas novas cheguem a sua vida. É preciso eliminar o que é inútil em você e na sua vida, para que a prosperidade venha. É a força desse vazio que atrairá tudo o que você almeja. Enquanto você estiver material ou emocionalmente carregado de coisas velhas e inúteis, não haverá espaço aberto para novas oportunidades.

Os bens precisam circular. Limpe as gavetas, os guarda-roupas, o quartinho lá do fundo, a garagem. Dê o que você não usa mais. Venda, troque, movimente e não acumule. Dê espaço para o novo.

A atitude de guardar um monte de coisas inúteis prejudica sua vida. Não são os objetos guardados que emperram sua vida, mas o significado da atitude de guardar. Quando se guarda, considera-se a possibilidade da falta, da carência.

É acreditar que amanhã poderá faltar, e você não terá meios de prover suas necessidades. Com essa postura, você está enviando duas mensagens para o seu cérebro e para a vida:

Primeiro você não confia no amanhã, e segundo, você acredita que o novo e o melhor não são para você, já que se contenta em guardar coisas velhas e inúteis!

O princípio de não acreditar que o melhor é para você, pode se manifestar, por exemplo, na conservação de um velho e inútil liquidificador. Esse princípio expresso num objeto denota um comportamento que pode também estar presente em outras áreas da sua vida, gerando entraves ao sucesso e a prosperidade. O simples fato de dar para alguém o velho liquidificador, colocando-o em circulação, cria um vácuo para que algo melhor ocupe o espaço deixado.

Emocionalmente, também. Você passa a acreditar que o novo compensará o objeto doado. Uma faxina básica, apesar da trabalheira e do cansaço que provoca, ao final é sempre bem-vinda.

Arejar espaços, fora e dentro da gente faz um bem enorme!

Vamos lá. Mãos á obra!

Neste link também tem algumas dicas interessantes: “colocando ordem na bagunça“.