Que tal fazer algo diferente?

16 01 2012

Muitas pessoas começam e terminam o ano, sempre do mesmo jeito, com os mesmos problemas no ano que termina e os mesmos propósitos para o ano que começa. A história de sua vida se repete e acaba não saindo do lugar. O que fazer?

Neste post anterior “Passear pelas estantes” pode te dar uma nova luz.

Marlus M. Marconcin
Coach de saúde

Anúncios




Um pouco da minha história – “Conversa com SuKardosh”

29 08 2011

Nesta entrevista você pode conhecer um pouco da minha história como Coach de Saúde e como isso modificou positivamente a minha vida.

É uma prévia da Palestra – “A Saúde na Visão de um Coach” – que será realizada em setembro de 2011.

 

 

 





“As 7 Perguntas da Plenitude”

10 08 2011

Chamamos o processo de coaching como a “Arte de fazer perguntas”. Por que razão as perguntas são importantes? O que acontece quando existe o questionamento inteligente?

Gostaria que você analisasse junto comigo um aspecto importante no desenvolvimento do conhecimento humano. Hoje temos soluções para os principais desafios da vida. Você parou para pensar em como estas soluções surgiram? O que fez com que gênios da física, química, medicina realizassem suas descobertas?

Muito simples. Eles souberam, em primeiro lugar, fazer perguntas inteligentes e desafiadoras. Santos Dumont talvez se perguntou: “O que eu poderei fazer para voar como um pássaro?” Gran Bell pode ter se perguntado: “Gostaria de me comunicar de forma rápida e clara com alguém muito distante. Como isso pode se tornar realidade? Tomas Edson talvez se questionou: “Esta vela não ilumina o suficiente para eu ler à noite. Como eu poderia reproduzir a luz do dia, dentro de minha casa e poder ler confortavelmente à noite?”

Uma resposta inteligente e desafiadora sempre vem de uma pergunta inteligente e desafiadora. São as perguntas que transformam o mundo e o ser humano. Uma vida de superação é resultado das perguntas que motivaram esta superação.

Os maiores sábios da humanidade respondiam às perguntas de seus discípulos com outra pergunta. A história de Jesus está repleta de exemplos assim.

Nosso cérebro sempre irá responder de alguma maneira uma pergunta. Não importa se ele saiba ou não a resposta correta. Porém antes de concluir que a resposta não existe a mente vai sempre fazer a busca por ela. Funciona da seguinte maneira: Uma pergunta estimula o nosso pensamento, que por sua vez é um gatilho para uma emoção, a emoção produz uma ação e a ação promove um resultado.

Então um resultado, a solução de um desafio, sempre vem como resposta a uma pergunta.

Vou deixar com você uma sugestão interessante e eficaz para ajudar a resolver qualquer coisa em sua vida. Eu chamo de as “As 7 Perguntas da Plenitude”. Gosto do número 7, é o número que representa a plenitude. Por isso são somente 7 perguntas poderosas que trarão 7 respostas poderosas.

1. Qual é o real desafio que eu superar neste momento?

Esta pergunta é importante para você se localizar. Algumas vezes as pessoas nem sabem o que resolver e se perdem na busca de soluções. É muito importante definir em primeiro lugar onde você está.

2. Que resultado eu quero obter?

Após definir onde você está é bom que você estabeleça onde quer chegar. Um caminho, uma rota é estabelecida quando temos esses dois pontos bem claros.

3. O que eu irei ganhar quando resolver este desafio?

Busque sempre uma motivação positiva para chegar a um resultado. Isso irá estimular o seu empenho nas ações.

4. O que eu irei perder quando resolver este desafio?

É importante verificar os riscos, e se existem aspectos negativos envolvidos, quais serão os efeitos colaterais. Se identificados procure encontrar uma maneira de minimizar as perdas.

5. Quem esteve numa situação semelhante e o que ele fez?

Antes de quebrar a cabeça e perder tempo na busca de uma solução. Pesquise se já não existe algo pronto e eficiente. A grande maioria dos desafios ou já foram resolvidos ou uma parte da solução já está descoberta.

6. O que este problema me impede de alcançar, fazer ou conquistar?

Esta é uma pergunta muito interessante, ela expande os limites e minimiza o problema. Aqui você descobre o real motivo deste desafio existir em sua vida..

7. E agora, o que eu irei fazer efetivamente para conquistar meu objetivo?

Finalmente você tem condições de colocar nas suas mãos a responsabilidade para solucionar o desafio. A solução irá acontecer se você fizer algo para isso. Aqui você foca na ação.

Simples, não é? Vamos ver um exemplo?

Digamos que você está com dor no peito e falta de ar, é fumante e seu cardiologista diagnosticou um risco cardíaco e recomendou a você libertar-se deste hábito.

1. Qual é o real desafio que eu superar neste momento?

Posso desenvolver uma doença cardíaca e o tabagismo irá agravar ainda mais esta condição e colocar em risco a minha vida.

2. Que resultado eu quero obter?

Me libertar do cigarro e viver de maneira tranqüila e saudável.

3. O que eu irei ganhar quando resolver este desafio?

Disposição e energia para fazer exercícios, as pessoas irão gostar de ficar mais tempo comigo pois o cheiro do cigarro não estará presente, irei poder sentir o real sabor dos alimentos, irei dormir melhor.

4. O que eu irei perder quando resolver este desafio?

O cigarro me proporciona prazer, porém este prazer será substituído por outros prazeres e sensações que o cigarro me impede de alcançar.

5. Quem esteve numa situação semelhante e o que ele fez?

Tenho um amigo que conseguiu. Ele tomou a decisão de maneira firme e buscou ajuda profissional de um Coach de Saúde para dar apoio e orientação.

6. O que este problema me impede de alcançar, fazer ou conquistar?

O cigarro me impede de viver a vida de maneira plena. Se eu continuar este hábito irá me impedir de viver. *Obs: Então qual o real motivo para o desafio existir? Neste caso é viver. Nada é mais importante que a vida

7. E agora, o que eu irei fazer efetivamente para conquistar meu objetivo?

Primeiro irei jogar fora todas as carteiras de cigarro que possuo e irei marcar imediatamente uma sessão com um profissional para me ajudar.

Estas perguntas podem ajudá-lo a encontrar a solução e conquistar resultados em qualquer área da vida. Experimente.

Lembre sempre o seguinte:

“Se você ainda não alcançou o resultado que você deseja para sua vida é porque você ainda não fez a pergunta certa.”

Marlus M. Marconcin – Coach de Saúde
All rights reserved ©





Como buscar aquele “Insight”

28 06 2011

Você já esteve numa situação onde ficou paralisado sem encontrar solução para algum problema? Talvez a idéia brilhante estivesse lá, porém você simplesmente não foi capaz de notar a sua existência.

Esta é uma situação muito corriqueira em todos os contextos de nossa vida. Podemos partir do pressuposto que todos nós possuímos todas as ferramentas para as soluções de nossos problemas. Portanto existem algumas dicas básicas para conseguirmos enxergá-las.

  • Quebre o ciclo. É importante neste momento mudar por um breve período a atividade. Em outras palavras quebre a rotina. Atividades repetitivas nos colocam num “looping” sem fim.
  • Construa uma “Network” que te inspire. Somos inspirados por pessoas inspiradas e inspiradoras. São pessoas que construíram seu sucesso, desenvolveram  estratégias eficientes para suas vidas, elas ousaram pensar de um modo diferente. Aproxime-se delas, converse e conviva com elas. Aprenda compartilhe experiências e dúvidas.
  • Saia para o “Vazio”. Muitas vezes quando insistimos em permanecer dentro do “espaço” do problema a solução parece não existir. Mude de ambiente. Saia, respire, estique as pernas. Ao sair do “espaço” do problema podemos descobrir coisas novas, soluções inesperadas e impensadas.
  • Seja curioso, ousado. Aprenda novas maneiras de fazer as coisas. Aprenda novas atividades, ganhe experiência, expenda seu conhecimento. Cada coisas que você pode aprender pode ser a matéria-prima de um projeto de futuro, ou idéia, ou uma nova atividade.
  • Divirta-se. Separe sempre um tempo para um esporte, uma atividade de lazer. Assista um filme, leia um livro alargue seu horizonte. Ao ficarmos muito focados em algo perdemos a capacidade de ter uma visão global das coisas.

O “Insight”, a inspiração, é algo que implica movimento. Portanto é importante maximizarmos as fontes de nossa inspiração. É claro que a princípio isso pode ser um processo um tanto demorado e porém se persistirmos os resultados virão, em qualquer contexto de nossa vida.





Sucesso – Algo para se cultivar

22 06 2011

Há algumas semanas discutimos a respeito da definição de saúde. Constatamos uma realidade. A saúde é algo que todos querem porém poucos sabem definir o que é. E cada um tem a sua definição pessoal e varia conforme a pessoa, conforme a idade, etc.

Descobri que o sucesso sofre do mesmo problema. Por que poucos alcançam o sucesso? Talvez porque poucos pararam para pensar e definir o que é isso para sua vida e onde encontrá-lo.

As definições formais de sucesso são: “ter êxito em uma campanha”, “atingir o objetivo”, “obter um bom resultado”. O problema é que as pessoas alcançam os objetivos e não consideram que tenham obtido o sucesso, alcançam resultados surpreendentes em suas vidas e não se sentem satisfeitas e acham que fracassaram.

Então sucesso acaba sendo algo subjetivo, algumas vezes até imensurável.

Minha definição pessoal de sucesso é:

“Sucesso é como uma flor. É plantado com a semente de nossos sonhos, cultivado no solo de nossa identidade. Fortalecido com a “poda” do desapego e nutrido com nossas crenças e valores. É adubado com atitude positivas e objetivos claros. E finalmente é colhido na estação em que é possivel amar, amar o que se faz, amar as pessoas, amar a vida.”

Então o sucesso começa com um ingrediente básico. Um “Sonho”, uma visão de um desejo. É importante querer e vislumbrar os benefícios de algo para isso poder ser real um dia.

Após sonhar com algo avaliamos o que isso irá transformar, positivamente ou negativamente nossa vida, nossa identidade. Quem iremos nos transformar ao realizar este sonho?

Plantado este sonho, existem coisas em nossa vida que sugam nossa energia e nos impedem de crescer e realizar nossos sonhos. O desapego é a ferramenta que nos ajuda a aliviar a carga e sermos mais eficientes.

O sucesso para cada um acaba sendo também uma questão de “valores”, de interesse pessoal. Não existe somente sucesso, mas sim o “seu” sucesso, e isso não será necessariamente o sucesso de alguém. Os valores são a base e o alicerce de nossos sonhos. Existem pessoas diferentes, diferentes sonhos e formas diferentes de alcançar esses sonhos.

A atitude correta nos aproxima de nosso sonho e os objetivos constroem o caminho mais curto e acessível para o sucesso.

Então chegado lá não adianta nada a conquista se não tiver o ingrediente do “amor”. Amar o que você faz facilita a jornada, amar as pessoas cria vínculos de auxílio e apoio, amar alguém em especial possibilita usufruir da conquista, ter com quem comemorar e dividir os louros e finalmente muito importante o amor à vida nos proporciona um senso de missão, de propósito, de Vida Plena.

 

Cultive o seu sucesso, é fácil e está à sua disposição.

Marlus M. Marconcin – Coach de Saúde
All rights reserved ©





Saindo da Zona de Conforto

12 05 2011

Vida profissional e saúde. Existe uma ligação entre estes dois contextos na vida de qualquer pessoa? O que fazer para evitar que uma perspectiva profissional negativa prejudique nossa vida como um todo?

Quando eu comecei minha carreira, no  início da década de 90, a medicina ainda era uma profissão almejada e segura. Naquela época, um recém formado fazia plantões noturnos e encontrava um emprego público para manter um ganho basal inicial, o tempo restante investia em seu consultório particular, local onde poderia desenvolver sua especialidade com dignidade e com tranquilidade. Com o passar do tempo a defasagem no valor das consultas obrigaram aos médicos a aumentar sua carga horária em plantões, não para ser um suporte no crescimento de sua carreira, mas por questão de sobrevivência. Os consultórios particulares começaram a esvaziar, as pessoas passaram a buscar o médico como uma espécie de ‘bombeiro’ para apagar os incêndios na sua saúde, deixando as consultas preventivas num segundo ou até terceiro plano. Como pediatra e com uma formação que sempre salientou a prevenção e a promoção da saúde, não estava muito feliz naquele momento e o futuro parecia um pouco nebuloso. Outra razão de tal escuridão foi também que eu vi colegas ao meu redor, muitos com vários anos de experiência a mais que eu, com curriculuns impecáveis, alguns até com título de mestrado, se sujeitando a trabalhar em serviços sem condições dignas de trabalho, desvalorizados e mau remunerados. O desânimo e a falta de perspectiva no futuro me levaram a uma obesidade mórbida que resultou numa obstrução de coronária que quase me matou.

A partir de um momento conclui: ’’A medicina não será a mesma que antes, é importante eu mesmo fazer algo e parar de esperar soluções da classe, de entidades. Eu sou o regente da minha vida’’.

Quando tais coisas acontecem, é sempre uma oportunidade para analisar sua formação e compreender a forma como exerce a sua profissão.

Ao pensar sobre esta mudança particular no mundo do trabalho, conclui que, para que eu pudesse conquistar uma tranqüilidade profissional, seria importante tomar as rédeas de minha vida  e não deixar que outros definissem as condições de meu trabalho. O mais importante numa carreira é ter a certeza que você poderá evoluir, ter a certeza da possibilidade de expandir suas habilidades, conhecimentos e consequentemente remuneração.

O problema é que evolução significa sair da “Zona de Conforto”.

O conforto é algo agradável quando as coisas estão indo bem. Mas a questão é: quanto tempo vai ficar assim? Num mundo em rápida evolução a sensação de conforto pode ser um perigo. Habilidades, capacidades e experiência são a garantia de sucesso na busca de oportunidades de trabalho. Mas as habilidades e capacidades não são coisas estáticas, mas dinâmicas. Num mundo em rápida evolução, é saudável que suas habilidades e competências mudem e de evoluam.  A aquisição de novas competências e desenvolvimento de novos talentos é um bem e uma necessidade.

É importante verificar de tempos em tempos, tanto na sua vida profissional como pessoal, onde você está, onde você estava e onde você quer chegar. Quando você vê que as coisas não mudam muito e que você ainda está no mesmo lugar, na mesma função, com a mesma remuneração, não enxergando nenhuma evolução no seu trabalho, provavelmente é hora de considerar partir para outro desafio.

Não faça isso apenas em sua vida profissional, mas também na sua vida pessoal, tenha hobbies, estabeleça metas para eles e persevere, a fim de alcançar seu objetivo. Em outras palavras, saia da zona de conforto e se aventure na zona de desconforto.

É interessante que este movimento para a zona de desconforto seja um processo contínuo. No início da minha carreira, eu pensava numa carreira de pediatra indo de casa para o hospital, do hospital para o consultório. Uma vida com poucos desafios. A água do meu aquário começou a ficar estagnada e a falsa estabilidade quase me matou. Hoje, como Coach de Saúde, não consigo me imaginar nesta vida estática. Busco novos desafios em todas as áreas da vida.

A minha experiência me fez chegar a algumas conclusões. Em cada evento negativo, você sempre pode aprender algo e encontrar oportunidades. É uma característica de um espírito empreendedor, é importante que você seja o empresário de sua própria vida. Mover-se para a zona de desconforto lhe dará outra oportunidade, irá contribuir para o seu auto-desenvolvimento e fortalecer o sua auto-estima. Mover-se para a sua zona de desconforto é apenas uma questão de hábito. Algo que percebi também é que quando encontramos uma estratégia eficiente num contexto de vida esta estratégia se distribui para os outros contextos incorporando em nós como um “modus operandi” generalizado.

Com isso, você vai sentir que a zona de desconforto não é tão desconfortável, muito pelo contrário é maravilhosa e nela encontramos as ferramentas que podem salvar a sua carreira e a sua vida, como salvou a minha.

Marlus M. Marconcin – Coach de Saúde
All rights reserved ©





Planos de Saúde – o que fazer antes de contratar um

18 04 2011

Existem uma série de detalhes a serem considerados quando está se escolhendo um plano ou seguro de saúde, quer seja um oferecido pelo seu empregador ou se você está comprando individualmente.

A seguir daremos algumas dicas importantes a serem observadas. Defina as suas necessidades: O que você quer de um plano de saúde? Que tipo de atendimento você necessita? Qual a cobertura? Procure a companhia de Seguro ou empresa de plano de saúde somente após você definir o que você quer. Os discursos de venda são tentadores e muitas vezes enganosos. O vendedor sempre vai te oferecer o melhor, não importa se é verdade ou não.

Considere o seguinte:

  1. O seu médico de confiança é credenciado? Alguns planos de saúde oferecem o atendimento de médicos somente de sua rede própria, outros planos são mais flexíveis. Se você já tem um médico, e está comprando o seu próprio seguro, verifique se o seu médico de confiança é credenciado. Se você tiver de escolher um novo médico, verifique as credenciais dos médicos do novo plano de saúde, entre em contato com a Associação Médica ou o Conselho Regional de Medicina.
  2. Quanto o médico que vai lhe atender receberá pela consulta? Verifique e faça os calculos se esse valor o profissional terá condições de manter seu consultório, manter sua atualização profissional, é um valor que ele poderá atendê-lo num tempo suficiente para pagar os custos do atendimento? Esse quesito é muito importante, a grande maioria dos planos de saúde que tem um valor baixo para o usuários pagam mau e com atraso seus médicos credenciados. Lembre-se que o médico também é cliente do plano de saúde como você, quando o plano lesa o médico também está lesando você pois o valor que você paga mensalmente é para pagar aqueles que te atendem.
  3. Qual é a localização dos consultórios, hospitais, laboratórios e outros serviços? Estes são fatores importantíssimos  a se considerar. É de fácil acesso, tem estacionamento, quanto tempo você irá gastar para chegar até lá?
  4. Quais são as especialidades disponíveis? Todos os planos de saúde são obrigados a reembolsar o valor da consulta para todas as especialidades credenciadadas no Conselho Regional de Medicina. Verifique qual o valor reembolsável. Qual a disponibilidade de horário para o plano dos especialistas credenciados. Alguns planos exigem que você procure um médico generalista antes de encaminhar ao especialista, enquanto outros permitem que você faça consultas especializadas diretamente. O que é mais adequado para você?
  5. Lembre-se de verificar a legislação de “doenças pré-existentes” – Na hora da venda do plano a promessa é de cobertura total, estude o contrato e veja se está de acordo com a legislação. Faça uma pesquisa para ter certeza que você sabe o que seu seguro ou plano de saúde cobre.
  6. Quais são os exames disponíveis, o plano cobre exames regulares de rotina? Parece uma coisa óbvia, mas se você necessitar de um controle periódico de alguma patologia você deve se assegurar que este controle com todos os exames necessários para a sua segurança são cobertos. Alguns planos de saúde cobrem estes tipos de procedimentos, porém colocam um limite anual. Se você tem filhos, lembre-se de perguntar se existe programas de prevenção da saúde da criança, que exames especiais e vacinas são cobertas.
  7. Quais são os serviços adicionais? Verifique tudo, desde a cobertura de medicamentos e cuidados de saúde mental, isso é uma consideração importante. Considere quais serviços adicionais que você pode precisar e se são, na verdade, cobertos pelo planos que você está comprando. Outros exemplos desses serviços adicionais que podem ser importantes para você são de aconselhamento e tratamento de drogas e álcool, atendimento domiciliar, ou cuidados prolongados, nutrição, psicologia, hospitais psiquiátricos,  medicina complementar, quiropraxia e fisioterapia.
  8. Se você estiver viajando e necessitar de um atendimento, você terá direito a reembolso? É importante você saber mais sobre esta política de reembolso para os atendimentos “fora da rede” credenciada. Finalmente, há co-pagamento, montantes máximos e limites globais de cuidados que você precisa saber? Obtenha todos os dados.

São apenas alguns ítens que julgamos importantes. Existem outros que em outra ocasião podemos apresentar. O importante é você se colocar numa situação de escolha e não de “presa fácil” na mão de vendedores.

É uma coisa difícil olhar para a sua saúde de uma forma fria e calculista, mas é a realidade desta vida.

À medida que envelhecemos, utilizamos muito de nossa energia para pensar e planejar coisas a respeito de doença, morte e invalidez, mas ninguém precisa ser mórbido ou depressivo.

Faça o seu melhor para obter um plano de saúde que cubra as suas necessidades particulares, e lembre-se que você vale a pena. Aquela regra aurea vale, e muito, também para a saúde, “O barato sai caro”.

Marlus M. Marconcin – Coach de Saúde
All rights reserved ©